Como ajudar crianças com autismo a aprender quantidades - contando os giros com o personagem favorito

28/01/2015

 

Interesses:

Dar voltas pelo quarto de brincar em cima de um tecido ou dentro de uma caixa, suspense, vozes de personagens, o personagem favorito de sua criança.

Metas principais:

Aprendizado de quantidades.
Participação física da criança na brincadeira.

Ação motivadora (o papel do adulto):

O adulto se veste como o personagem favorito da criança e leva a criança para dar voltas pelo quarto de brincar sobre um tecido ou dentro de uma caixa. A caixa pode ser feita de papelão, de material plástico, tubos de PVC, madeira MDF. Crianças pequenas cabem dentro de uma bacia plástica. Há ainda skates largos nos quais a criança pode se sentar ou se deitar e o adulto pode puxar o skate por uma corda. No caso de adultos com autismo que gostam de estímulos físicos, as cadeiras de rodinhas podem ser o suporte para o “passeio”.

Solicitação (o papel da criança):

A criança escolhe um cartão e separa os objetos na quantidade descrita no cartão.

Estrutura da atividade:

O adulto, fantasiado como o personagem favorito da criança, convida a criança para dar voltas ou giros pelo quarto dentro de uma grande caixa de papelão. Se a criança não entrar rapidamente na caixa, o adulto demonstra a brincadeira posicionando um boneco dentro da caixa e o levando para passear (puxando a caixa pelo quarto) enquanto é observado pela criança. O adulto convida a criança usando a voz e os gestos engraçados do personagem favorito para motivá-la a entrar espontaneamente na caixa.

Com a criança na caixa, o adulto oferece os giros pelo quarto sem pedir nada em troca, apenas contando em voz alta cada giro dado com a criança. O adulto então estabelece uma atividade cíclica em que ele leva a criança para girar pelo quarto dando, por exemplo, de 1 a 5 giros, afasta-se fazendo suspense e, de forma previsível volta a levar a criança para girar novamente, repetindo diversos ciclos sem pedir nada à criança, apenas fazendo a ação motivadora de graça, pausando por alguns segundos, fazendo a ação novamente, pausando, e assim por diante. O adulto explica a quantidade de giros a cada ciclo, ou seja, o adulto diz para a criança, “Vamos girar 3 vezes” (ou “Vamos dar 3 giros”), mostra um cartão com o número 3 e então leva a criança para dar 3 giros pelo quarto. Quando a criança estiver altamente motivada pela ação do adulto, demonstrando este interesse através de olhares, sorrisos, gestos, sons ou palavras, o adulto animadamente propõe que a criança escolha um cartão (o adulto poderá ter 1 a 10 cartões preparados). O adulto explica que a criança deverá separar a quantidade de pinos de boliche (ou bolas ou qualquer objeto escolhido para a atividade) de acordo com o cartão para então ter o número de giros descrito no cartão. Para facilitar o aprendizado, o cartão poderá ter, por exemplo, o número “3” e também 3 pinos de boliche desenhados, para que fique claro para a criança qual a quantidade a ser separada. A solicitação é um convite animado, e não uma ordem. O adulto estimula a criança a escolher o cartão e a separar as quantidades, e cada cartão poderá ser afixado na parede temporariamente para que a criança possa visualizá-lo durante aquele ciclo da brincadeira.  Todas as tentativas da criança em separar os pinos são comemoradas e o número de voltas desenhado no cartão é oferecido, mesmo que a criança não acerte de primeira. Nos ciclos da brincadeira, enquanto a criança continua altamente motivada, o adulto a estimula a tirar novos cartões e dar continuidade na ação.

Variações:

Podemos ajustar o grau do desafio desta atividade inserindo novos objetos na brincadeira, quando a criança já consegue separar os pinos de boliche nas quantidades corretas com facilidade. Podemos separar três outros grupos de objetos (bolas, bonecos e carrinhos, por exemplo) e criar cartões com novas quantidades destes objetos. Desta forma, além de separar os objetos na quantidade correta, a criança também poderá identificar qual o objeto da vez.

Algumas crianças podem gostar de separar os objetos e levá-los consigo dentro da caixa para os giros daquele ciclo. Para enfatizar a relação entre a quantidade de objetos e a quantidade de giros, o adulto pode explicar que vamos retirar um objeto de dentro da caixa a cada giro, ou que vamos colocar um objeto dentro da caixa a cada giro, cada objeto simbolizando um giro. Se a criança já está participando de jogos simbólicos, cada objeto pode ser um combustível para um dos giros, ou ainda um bilhete/ticket para cada giro.

Caso a criança esteja começando a aprender operações matemáticas simples, os cartões poderão combinar quantidades diversas de objetos diferentes (por exemplo, 3 pinos e 2 carrinhos, totalizando 5 objetos e, portanto, 5 voltas). Nesse caso, é importante que o cartão ilustre didaticamente que o número de voltas será o somatório do número de objetos (o adulto poderá contar em voz alta os próprios objetos com a criança para demonstrar o processo de soma).

Para ajudar a criança a manter-se motivada durante a interação e prolongar o tempo de duração da atividade, podemos inserir em alguns ciclos pequenas variações na ação motivadora como, por exemplo, o personagem favorito da criança usar diferentes tons de voz para criar um suspense do que está prestes a acontecer, e então agir utilizando gestos engraçados. Para incrementar os giros pelo quarto, por exemplo, o personagem pode fingir que está escorregando em uma banana ou pode dar as voltas em câmera lenta, tropeçar em um obstáculo ou fazer uma curva fechada que faça com que a criança quase caia para fora da caixa (muitas de nossas crianças adoram isso!). O personagem pode ainda cantar, dançar, ou fazer cócegas e massagens na criança além de girá-la pelo quarto.

Se a criança se interessar por dar giros pelo quarto, mas nós desejarmos trabalhar a meta de número-quantidade associada a uma meta diferente, como, por exemplo, a comunicação verbal expressiva ao invés da participação física, podemos pedir que a criança diga o número de objetos que devem ser separados a cada rodada, ou que ajude o adulto a contar o número de giros dados pelo quarto.

Já se a meta for aumentar ainda mais a participação física da criança na atividade, podemos pedir que ela coloque os objetos já utilizados de volta no local de onde foram retirados, ou que recoloque peças da vestimenta do personagem quando o personagem “perder” acidentalmente um desses objetos ao dar os giros – o personagem pode deixar seus óculos, chapéu, bolsa ou sapatos caírem durante as voltas e pedir que a criança o ajude a colocá-los de novo no lugar, para que ele volte a girá-la pelo quarto.

Se nossa criança não se interessar por dar voltas no quarto dentro da caixa de papelão naquele momento, podemos manter a mesma estrutura e meta da brincadeira e oferecer ações motivadoras diferentes, como por exemplo, o adulto pular com a criança ou o adulto passear de cavalinho com a criança em suas costas um determinado número de vezes.

Compartilhe essa atividade sobre como ajudar crianças com autismo a aprender quantidades com seus amigos através das redes sociais. Veja também outras atividades interativas em nosso site!

Compartilhe com um amigo ou colega nas mídias sociais a seguir:

Postagens Relacionadas

Montando palavras com pulos mágicos – atividade para alfabetização
10 agosto, 2016

Montando palavras com pulos mágicos Interesses: Participar de jogos e desafios, atividades físicas como pular e receber cócegas, animais. Metas principais: Desenvolvimento da leitura e da escrita a partir da utilização de sílabas que formarão palavras. Atenção compartilhada de 15 minutos ou mais. Ação motivadora (o papel do adulto): O […]

Leia mais
Conversando com o papagaio curioso – estimulando sua criança a responder a perguntas
3 agosto, 2016

Conversando com o papagaio curioso Interesses: Assistir a encenações, ouvir histórias, interagir com animais, fantoches. Metas principais: Comunicação verbal: responder a perguntas que envolvem “quem”, “qual”, “o que”, “onde” e “por que”. Desenvolver período de atenção compartilhada de 20 min ou mais. Ação motivadora (o papel dos adultos): Um adulto poderá encenar […]

Leia mais
Atividade para desenvolver a comunicação – desenhando uma história em quadrinhos
14 julho, 2016

Desenhando uma história em quadrinhos Interesses: Desenhar, ouvir e contar histórias, personagens de histórias em quadrinhos (por exemplo, a Turma da Mônica). Metas principais: Comunicação verbal (relatar experiências). Desenvolver período de atenção compartilhada de 15 min ou mais. Ação motivadora (o papel do adulto): O adulto desenha em uma cartolina uma história em […]

Leia mais
Deixe um comentário
Como ajudar crianças com autismo a aprender quantidades – fazendo compras no supermercadoIrmãos com autismo têm mais diferenças que similaridades, aponta artigo do jornal NY Times
Todos os comentários ( 7 )
  • Avatar
    Lígia Vilar
    28/01/2015 em 9:18 pm

    Excelente a dinâmica utilizada. Parabéns.

    Resposta
    • Avatar
      Inspirados pelo Autismo
      @Lígia Vilar
      22/05/2015 em 3:57 pm

      Olá Lígia,Agradecemos pela apreciação em relação à nossa dinâmica. Caso você deseje saber mais sobre o estilo responsivo de interação que utilizamos em nosso […] Leia maisOlá Lígia,Agradecemos pela apreciação em relação à nossa dinâmica. Caso você deseje saber mais sobre o estilo responsivo de interação que utilizamos em nosso trabalho, recomendamos o acesso ao link abaixo:http://www.inspiradospeloautismo.com.br/a-abordagem/Atenciosamente, Equipe Inspirados pelo Autismo Leia Menos

      Resposta
  • Avatar
    Jozane Matos
    30/01/2015 em 11:56 am

    Deus abençoe a cada um, pelo dom de ajudar!

    Resposta
    • Avatar
      Inspirados pelo Autismo
      @Jozane Matos
      22/05/2015 em 3:55 pm

      Obrigado, Jozane!Atenciosamente, Equipe Inspirados pelo Autismo

      Resposta
  • Avatar
    CLAUDIA DITTMANN
    01/03/2015 em 6:34 pm

    Boa tarde! Trabalho com 2 autistas, achei as dinâmicas ótimas para trabalhar com as crianças.. Obrigado pela ajuda... Claudia

    Resposta
    • Avatar
      Inspirados pelo Autismo
      @CLAUDIA DITTMANN
      22/05/2015 em 3:55 pm

      Olá Claudia, boa tarde!Que bom saber que você apreciou as atividades. Temos outras sugestões de atividades lúdicas em nosso site e também no Livro Brincar […] Leia maisOlá Claudia, boa tarde!Que bom saber que você apreciou as atividades. Temos outras sugestões de atividades lúdicas em nosso site e também no Livro Brincar para Crescer:http://www.inspiradospeloautismo.com.br/a-abordagem/atividades-interativas-para-pessoas-com-autismo/ http://www.inspiradospeloautismo.com.br/livros/brincar-para-crescer/Muito sucesso no seu trabalho com as duas crianças!Atenciosamente, Equipe Inspirados pelo Autismo Leia Menos

      Resposta
  • Avatar
    eliana tizzo
    18/08/2015 em 7:35 pm

    Acho fantástico o trabalho de vocês. Adoro receber os artigos. Trabalho em escolas públicas em que as vezes sinto muita dificuldade em trabalhar com as […] Leia maisAcho fantástico o trabalho de vocês. Adoro receber os artigos. Trabalho em escolas públicas em que as vezes sinto muita dificuldade em trabalhar com as crianças em uma sala com 25 a 30 alunos. Para mim é muito difícil sair de BH, visto que trabalho em mais turnos. Quando vierem para dar algum curso ou palestra mais próximo da minha cidade gostaria de ser avisada. Um grande abraço e muito obrigada pela dicas. Leia Menos

    Resposta

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Informativo da Inspirados pelo Autismo

E-mail (obrigatório):

Nome:

Sobrenome:


FamiliarProfissional/ estudante da área de saúdeProfissional/ estudante da área de educaçãoOutro

Próximos cursos da Inspirados pelo Autismo:
Curso dinâmico e prático

“Finalmente encontrei um curso sobre autismo que atendeu minhas expectativas. Foi ministrado numa linguagem acessível, de forma dinâmica e prática, no qual assimilei um aprendizado que já me habilitou a lidar com o autismo.”

Ilza Correia, pedagoga
Curso sobre autismo.
Informações claras

“Informativo, interativo, responsivo e dinâmico. Curso muito organizado, bem estruturado, com informações claras e demonstrações muito sensibilizantes. Aporte teórico demonstrado na prática a todo o momento, facilitando o entendimento.”

Daniele Gomes, coordenadora pedagógica
Curso sobre autismo.
Inovador, prático e inspirador
“Inovador, prático, inspirador, conteúdo bem completo, considerando a amplitude das características do autismo.”
Yvina Baldo, professora e mãe
Curso sobre autismo.
Compreender o mundo do autismo
“Inspirador, me fez compreender o mundo do autismo (do meu filho) melhor, me deu força, esperança e me tirou do papel de expectadora, me abriu portas para um mundo diferente, me fez ter outros olhos e me deu o poder de fazer a diferença na vida do meu filho. Fiquei muito feliz de ter participado do curso e indico para todos os profissionais e familiares de pessoas com autismo.”
Danielle Speranza, mãe
Curso sobre autismo.
Aprender através de atividades prazerosas
“Como uma grande oportunidade de aprender, conhecer e desenvolver nossa sensibilidade de forma com que possamos auxiliar nossas crianças ou adultos com autismo a encontrar prazer em interagir socialmente, em brincar, aprender através de atividades lúdicas, interativas e prazerosas para ambas as partes. Vale a pena! É incrível!”
Fabrícia Corrêa Elias, professora
Curso sobre autismo.
Uma experiência fantástica
“Uma experiência fantástica, rica em conhecimento, informação. Superou minhas expectativas, realmente muito bom e proveitoso.”
Ellen Rolim, fonoaudióloga
Muito esclarecedor e motivador
“Fantástico, muito esclarecedor e motivador. Você sai do curso com vontade de chegar em casa e aplicar tudo que aprendeu.”
Lucia Sangiacomo, mãe