Os sentimentos

Nossos sentimentos dão significado para nossas vidas

Os sentimentos

Muitos de nós vivem o dia-a-dia com pouca consciência de como nos sentimos. Estamos geralmente muito ocupados na realização de tarefas e raramente encontramos tempo para sentir. Sentir-se inspirado por sua criança com autismo (ou por qualquer outro aspecto da sua vida) não é apenas um exercício mental para se descobrir uma perspectiva inspiradora pela qual você pode ver o mundo. É o sentir que esta perspectiva é real para você, e sentir-se bem enquanto você a adota. São nossos sentimentos que dão significado para nossas vidas e para as experiências que criamos para nós mesmos.

Em nossa cultura, muita ênfase é colocada em emoções como o medo, raiva e tristeza. E de fato, estas são as emoções que as pessoas mais tendem a lembrar-se da experiência, e também as expressadas mais intensamente. Estas experiências emocionais também são as mais estressantes para o corpo e a mente, e não facilitam a criação de um ambiente estimulante e de expansão para você ou sua família. Mas quando nos sentimos entusiasmados, inspirados e alegres, nos colocamos em um outro estado. Um em que temos abundância de energia, enxergamos possibilidades ilimitadas, e nos envolvemos profundamente com os eventos de nossas vidas e com as pessoas ao nosso redor.

Nossos sentimentos dão significado para nossas vidasUm jeito fácil de se começar este processo é através da apreciação. Muito cedo em nossas vidas somos todos ensinados a dizer “obrigado” quando as pessoas nos oferecem algo. Mas em que frequência sentimos uma sensação física e emocional de profunda gratidão ao dizermos “obrigado”? Geralmente somos ensinados a dizer “obrigado” para sermos “bem-educados” e mostrarmos consideração pela pessoa que nos oferece o presente. Raramente somos ensinados a sentir uma emoção de profunda gratidão e a compartilhar este sentimento com a outra pessoa.

Apreciação é um estado identificável cientificamente. Há um certo padrão fisiológico que corresponde a uma pessoa sentindo apreciação. Os cientistas vêm recentemente descobrindo que maiores períodos em um estado de apreciação levam a maior longevidade, melhoras na saúde, relacionamentos e funções mentais. Os pais tendem a apreciar suas crianças; pais de crianças com autismo muitas vezes acabam preocupando-se tanto com a criança que esquecem-se de focar no amor e apreciação que eles naturalmente têm.

Como sentir uma maior apreciação e construir um vínculo com a criança

Observe a atividade favorita de sua criança (uma atividade que não apresente comportamentos indesejados como choro, gritos, agressões, destruição de materiais ou qualquer atividade que ponha em risco a integridade física da pessoa, de outros ou dos materiais). Ela gosta de alinhar objetos, pular na cama, rodar em círculos, fazer sons com sua boca ou com objetos, desenhar, construir uma torre, falar sobre dinossauros ou sobre algum personagem? Observe a atividade e faça com ela. Corra com ela, pule, deite-se no chão e alinhe os carros com ela. Se ela estiver utilizando objetos na atividade e não quiser compartilhá-los com você, encontre objetos similares para utilizá-los da mesma forma que ela. Faça o que ela estiver fazendo mesmo que a atividade pareça uma tolice sem propósito. Se ela quiser a sua ajuda, a ajude! A princípio, não tente guiar ou direcionar, apenas siga a criança.

Enquanto você acompanha a criança na atividade dela, procure envolver-se genuinamente com a atividade. Desapegue-se de quaisquer outros pensamentos para que você possa estar “presente” na atividade. Não pense no que as outras pessoas iriam pensar se elas vissem você correndo e balançando as suas mãos. Permita-se brincar como a sua criança! Se você não consegue ou não se sente à vontade para fazer exatamente o que ela faz, faça o que você conseguir ou se sentir à vontade para fazer. Por exemplo, se você está com a perna machucada e a criança está pulando na cama elástica, você pode acompanhá-la do lado de fora da cama elástica balançando seu corpo e braços no mesmo ritmo que ela. O importante é estar confortável na atividade.

Uma vez envolvido na atividade, comece a procurar uma forma de apreciar esta experiência e a criança que você está acompanhando. Você pode notar o entusiasmo de sua criança e sentir-se grato por ela ter encontrado uma atividade que ela claramente gosta. Você pode prestar atenção aos estímulos sensoriais interessantes ou prazerosos que a atividade traz para você – o que você sente no seu corpo ao fazer a atividade, como você vê as coisas durante a atividade, ou algum som que você ouve. Você pode sentir-se grato pela companhia da criança. Encontre algo em relação a esta atividade que você consegue genuinamente apreciar. Daí foque neste sentimento de apreciação enquanto você continua a seguir sua criança. Esteja consciente de como você se sente neste estado de apreciação e gratidão enquanto você acompanha sua criança na atividade escolhida por ela.

Um número cada vez maior de psicólogos e pesquisadores estão percebendo que o amor e a expressão sincera de apreciação por uma criança são componentes essenciais (há muito tempo ignorados) para a educação e o desenvolvimento de uma criança. A ciência está começando a compreender a importância destas profundas emoções humanas no desenvolvimento de uma criança, especialmente no desenvolvimento de crianças com autismo.