Atividades de vida diária para pessoas com autismo

Atividades de vida diária para pessoas com autismo

Atividade para ajudar a criança comer frutas:

“Pega-pega do Pica-pau acordando”

Atividades de Vida Diária para Pessoas com AutismoOs pais do Matheus gostariam que ele passasse a comer outras frutas, como as maçãs. Segundo a mãe do Matheus, ele “não comia fruta há 1 ano, nenhum tipo de fruta ou suco, e uma das metas da visita domiciliar era essa.”

O primeiro passo então foi verificar junto aos pais do Matheus quais eram os interesses e motivações dele atualmente. Junior e Renata contaram que o pequeno Matheus gostava de brincadeiras de pega-pega, cócegas e, entre inúmeros personagens, estava fascinado pelo Pica-Pau.

Durante uma sessão, o Lincoln aproveitou que o Matheus falou a palavra Pica-Pau e rapidamente criou uma brincadeira em que ele (Lincoln) era o Pica-Pau e que iria pegar o Matheus e fazer cócegas (ou seja, era um pega-pega com cócegas).

Para poder expandir a brincadeira e atingir a meta (que era o Matheus comer as frutas), o Lincoln começou a oferecer um grande suspense. Agora o Pica-Pau dormia no chão e lentamente acordava, ainda meio fraco. Para despertar totalmente e ficar forte, o Pica-Pau representado pelo Lincoln comia pedaços de maçã que estavam picadas em uma tigela. À medida que o Lincoln ia acordando e comendo os pedaços da fruta, pequenas partes do seu corpo iam se movimentando. Primeiro as mãos e pés, depois braços e pernas, depois tronco e o corpo todo, até correr para pegar Matheus. Quando Lincoln pegava o Matheus, ele agora o rodava de cabeça para baixo ou nas costas, “jogava-o” (com segurança) para o alto, soprava sua barriga e no final oferecia pressões com o colchão em cima dele.

O Matheus sorriu durante a maior parte da brincadeira e gargalhou em vários momentos. Matheus observava atentamente o Lincoln, que representou um modelo social, comendo pedaços de maçã que estavam na tigela de forma a despertar e ficar bem forte. Matheus disse “Você comeu a maçã”. Depois, de forma espontânea, Matheus se aproximou da tigela de maçã e a tocou. Lincoln respondeu imediatamente à iniciativa de Matheus comemorando e voltando a oferecer as ações motivadoras (rodar, jogar, soprar e pressionar o Matheus levemente com o colchão).

Alguns minutos depois, e novamente de maneira espontânea, Matheus pegou um pedaço de maçã da tigela e o colocou em sua boca! Com entusiasmo, o Lincoln comemorou muito e ofereceu rapidamente e animadamente as ações motivadoras de rodar, jogar, soprar e pressionar o Matheus levemente com o colchão.

Na sequência, Matheus comeu vários pedaços de maçã, sempre nos momentos em que o Lincoln fazia uma pausa nas ações motivadoras.

Resumo:

Importante!: O mesmo princípio pode ser aplicado em diversas brincadeiras. Por exemplo, outros personagens podem ser utilizados no lugar do Pica-Pau. Outras frutas e alimentos podem também ser usados no lugar da maçã.Abaixo um trecho do lindo e carinhoso relato enviado pela mãe do Matheus – Renata – sobre a atividade. A Renata nos mostra como ela conseguiu utilizar o mesmo princípio para estimular o Matheus a tomar suco de Uva:

“(…) dias depois, fora do quarto de brincar, fizemos a mesma coisa com um pião que ele ganhou de brinde de um aniversário. Ele queria que eu rodasse o pião e, quando ele parava de girar porque tinha ficado fraco, eu tomava um pouco de suco de uva, ficava forte e girava o objeto com mais força. O Matheus nunca havia tomado suco de uva, nem tão pouco cheirado, e começou a tomar na brincadeira! O suco tinha um leão na caixa (…) então quem tomasse ficava forte como o leão da caixinha. Sei que isso não significa que o Matheus vá tomar suco outras vezes, mas só o fato de ele ter se permitido experimentar, para mim, já é tudo! (…) O que achei interessante foi que eu estava bem tranquila na brincadeira e não necessitava que ele tomasse o suco, então ficou muito leve e gostoso de fazer. E a recompensa foi ótima, ver ele se permitir experimentar algo completamente novo. Espero que possamos ajudar de alguma forma com esse depoimento!” Renata – mãe do Matheus

 

 

Dois dias após redigir esse depoimento, Renata nos contou ao telefone que Matheus já estava tomando também suco de pêssego, tudo partindo de expansões da brincadeira.

 

Atividade para a ingestão de novos alimentos:

“O cavalinho que come brócolis”

Atividades de Vida Diária para Pessoas com AutismoCrie uma brincadeira interativa em que o papel da criança seja apenas observar você comendo o alimento. Enquanto você come, demonstre gostar do sabor da comida, do cheiro, da textura do alimento. Exagere suas reações.

Um exemplo de atividade interativa pode ser o “Passeio de Cavalinho”. Você oferece à criança um passeio de cavalinho a carregando em suas costas. O “cavalinho” fica cansado e com fome, precisando então comer deliciosos brócolis para ganhar forças e voltar a cavalgar. Você faz uma pausa, come os brócolis animadamente e volta a oferecer a ação motivadora de carregá-la pelo quarto.

Atividades de Vida Diária para Pessoas com AutismoApós vários ciclos de brincadeira em que você pausa e come os brócolis para voltar a cavalgar, se a criança continuar altamente motivada na interação, solicite que ela lhe ajude a comer, por exemplo, o ajudando a levantar o seu braço para que você leve os brócolis até a sua própria boca (boca do “cavalo”). Neste caso, ela não precisaria nem chegar perto dos brócolis ainda.

Quando a criança estiver respondendo à solicitação de forma consistente, aumente o desafio e peça que ela pegue os brócolis do prato e os coloque na boca do “cavalo” para ele ganhar forças e voltar a cavalgar. Neste caso, ela apenas toca nos brócolis, mas eles vão direto para a boca do adulto.

Exemplos de solicitações futuras para aumentar o desafio da solicitação na atividade: a criança aproximar os brócolis de seu nariz e do nariz dela para que vocês possam sentir o cheiro dos brócolis antes de você comer, a criança encostar os brócolis em seu próprio lábio (dar um beijinho no alimento) antes de oferecê-los para você comer, lamber os brócolis, dar uma pequena mordida, e assim por diante, até que você e ELA estejam comendo os brócolis de forma divertida para você ganhar forças e cavalgar novamente.

Importante!:O mesmo princípio pode ser aplicado em diversas brincadeiras, por exemplo, a rodela da cenoura pode alimentar o fantoche de coelho faminto antes de ele fazer cócegas na pessoa com autismo. Podemos também investir em brincadeiras simbólicas com comidinhas de plástico, como piqueniques dos fantoches, restaurante dos bonecos, feirinha do Barney, etc. Cada comidinha pode levar você a oferecer uma ação motivadora diferente para a pessoa.

Atividade para a escovação de dentes:

“Virando um leão”

Atividades de Vida Diária para Pessoas com Autismo1° passo: Criar e aprofundar um vínculo relacional com a criança para que a conheçamos melhor em seus interesses, talentos, medos, dificuldades, estilo e ritmo de aprendizado. Da mesma forma, o vínculo relacional a ajuda a nos conhecer, sentir-se confortável e segura conosco, o que tende a levar também a uma maior flexibilidade por parte da criança diante de desafios. Brincamos com a criança na brincadeira que ela gosta, do jeitinho que ela gosta e, gradativamente, oferecemos nossas contribuições às atividades dela, sugerindo variações divertidas e até novas brincadeiras que incluam interesses da criança.

2° passo: Inserir a escova de dentes na brincadeira. A escova estará relacionada a uma ação motivadora sua (algo que você oferece à criança para entretê-la). Por exemplo, você imita um leão algumas vezes e a criança gosta muito de sua ação (ação motivadora). Você continua a fazê-lo, mas adiciona a escova de dentes como motor de sua ação. Você pode escovar os seus próprios dentes e, então, virar um leão.

3° passo: A criança escova seus dentes (ou ajuda você de alguma forma a escovar seus dentes) e você vira um leão.

4° passo: A criança escova os próprios dentes e você vira um leão.

5° passo: Você escova os dentes da criança e você vira um leão.

Se a sua criança não se interessar em ver você virar um leão, você pode oferecer outras ações motivadoras como virar um macaco saltitante, cantar as músicas favoritas dela, fazer cócegas ou massagem na criança, desenhar um trem ou avião para ela, sempre associando sua ação motivadora ao ato de se usar a escova de dentes.

Importante!:Lembre-se de comemorar qualquer movimento da criança como uma tentativa de fazer o que você solicitou!

Você poderá ainda utilizar escovas com um visual divertido e pastas/substâncias com sabor agradável. Escovas elétricas ajudam em alguns casos!

Procedimentos em consultório dentário

Atividades de Vida Diária para Pessoas com Autismo1° passo: Antes de levar a pessoa ao consultório do dentista para os procedimentos dentários, trabalhar a temática em casa, explicar o que acontece no consultório do dentista, mostrar fotos e vídeos (se possível do dentista escolhido pela família), brincar de ser dentista em casa, tornar o evento da ida ao dentista algo mais previsível para a criança.

2° passo: No consultório, promover a gradual exposição e dessensibilização dos odores, sabores, texturas, sons e imagens de um consultório dentário.

3° passo: No consultório, permitir que a criança utilize objetos de conforto e/ou se beneficie da companhia de pessoas com quem se sinta segura.

4° passo: Conhecer e brincar com o dentista durante a visita, sem pressa para iniciar o tratamento. O dentista poderia brincar de escovar os dentes!

Leia mais sobre: