Como criar um programa domiciliar para uma criança, adolescente ou adulto com autismo?

Como criar um programa domiciliar para uma criança, adolescente ou adulto com autismo?

A Inspirados pelo Autismo adota uma abordagem que pode ser utilizada pelos próprios pais no dia a dia com a criança.

Como ajudar crianças, adolescentes e adultos com autismo A nossa abordagem pode ajudar você a realizar as tarefas do cotidiano com a sua criança, a lidar melhor com comportamentos indesejados e a desenvolver habilidades específicas de sua criança através da realização de sessões “um para um” (um adulto por vez interagindo com a criança).

Para a aplicação dessa abordagem, propomos adaptações no ambiente físico quando necessário, a adoção de uma nova perspectiva sobre o autismo e a utilização de estratégias que promovam a construção de habilidades.

Nossa abordagem propõe uma maneira nova de se relacionar com a criança (o estilo responsivo de interação), e prepara os pais para identificar os melhores momentos para trabalhar com a criança em seu desenvolvimento, ajudando-os também a antecipar, evitar e controlar eventuais momentos de crise.

Sobre as sessões “um para um” que podem ser realizadas pelos próprios pais com suas crianças, elas podem acontecer em um quarto de brincar ou em um outro ambiente adaptado da casa.

Os pais são preparados para avaliar a criança (usando a Tabela de Habilidades da Inspirados pelo Autismo) e estruturar um programa domiciliar, ou seja, um plano de ação com sessões individuais com a criança através das quais os aspectos de seu desenvolvimento serão trabalhados.

Interação social, atenção compartilhada, desenvolvimento da comunicação, participação física, habilidades socioemocionais e acadêmicas podem ser trabalhadas nessas sessões, sendo bastante comum que os pais contem com o apoio de familiares, voluntários e profissionais em seus programas domiciliares.

A atuação multidisciplinar, o compartilhamento de informações e a adoção de um plano conjunto de ação são propostos em nosso trabalho, que valoriza o diálogo constante entre os pais, os profissionais que trabalham com a criança e a escola.

Todas estas pessoas podem aprender o estilo responsivo de interação e podem trabalhar em conjunto para que a criança alcance as metas estabelecidas em seu programa (como, por exemplo, a execução de tarefas cotidianas como usar o vaso sanitário, vestir-se ou escovar seus dentes; ou o desenvolvimento de habilidades sociais e de comunicação como o aumento do repertório expressivo de palavras ou o aumento da atenção compartilhada, etc.).

Veja a seguir um exemplo de passo a passo já utilizado por muitas famílias e saiba como criar um programa domiciliar e como aplicar com sucesso a nossa abordagem:

Informe-se

 

Estruture o programa

 

Inicie as sessões

 

Aprofunde seu conhecimento